terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Os guardiões de kiara parte 21- por Camila Bernardini




Thorn e Juliano afastavam-se cada vez mais por entre a trilha. No caminho o cenário era belo para ser apreciado a luz do sol, coisa que nenhum dos dois poderiam mais fazer. As flores cobriam todas as árvores, eram pequenas e de várias cores e tamanhos.
- Aonde vamos?
- Quando chegou aqui em carpen, Merlin leu seus pensamentos e sabia onde queria vir. Talvez estando lá seja mais fácil para que suas lembranças voltem.
Mais alguns minutos pararam de frente para uma enorme caverna. Sua entrada estava coberta de plantas tornando-a quase invisível. Juliano seguiu para dentro. Não havia luz os iluminando ali. Thorn conseguia ouvir o barulho de água caindo, deduziu que a outra entrada poderia ser coberta por uma cachoeira.
- Juliano deu os anéis e pediu que ela os segurasse.
Thor os segurou firme na mão. Sabia que naqueles dois pequenos objetos estava a resposta do seu passado. Juliano encostou a mão em sua testa e disse:
-Irá doer um pouco, me desculpe.
Antes que ela pudesse responder sentiu as presas do vampiro perfurar seu jugular. A dor era intensa. Mas não era uma dor comum, era prazerosa. Diferente. A mesma que sentia quando Simona a mordia. Simona... A mente de Thorn estava confusa cheia de cenas desconexas vindo e voltando. A espada que ganhará de aniversário, Jade, o castelo de Abraxas, o passeio na praia com Phauno. As malekes. Kiara. O talismã. À noite na cabana com Simona, a amizade forte com Jasmine. Thorn então desmaiou. Permaneceu assim por algum tempo, até que recobrou os sentidos. Ao abrir os olhos viu Juliano a olhando.
- Eu me lembrei de tudo.
- Lembrou do que veio buscar aqui?
- O livro das sombras para saber para que servem os anéis.
- Thorn o livro está dentro dessa caverna. E somos nós os Godos que os protegemos. Peço que o veja, mas não o retire daqui como pretendia.
- Mas vocês...?
- Por isso as lendas terríveis a nosso respeito. Para que as pessoas temam e não busquem o conhecimento que estamos a anos protegendo.
- Prometo que deixarei aqui!
- Não se depender de mim- Phauno achou um jeito de fugir, enquanto jasmine tentava apaziguar mais uma discussão de Umberto e Simona.
- O que está fazendo aqui Phauno?
- Quero os anéis e o livro!
- Pensei que você havia mudado.
- Minha querida eu tentei... Mas o poder é um convite em aberto que me faz esquecer que tenho que ser bom.
- Você é um monstro!
- Sou menos que você que agora é uma vampira.
- Não irei te dar os anéis.
- Terei que te matar então!
Juliano disse:
- Antes de matá-la terá que matar a mim.
- Será um prazer.
Phauno com uma agilidade fora do comum retirou da mochila que carregava nas costas a retirou a espada de Thorn desferindo um gole certeiro no pescoço do vampiro.
- Nãooo!
Era tarde, o corpo e a cabeça de Juliano estavam separados e o vampiro tombava morto ao chão.
Lágrimas vieram aos olhos da fada- vampira.
- Onde conseguiu minha espada?
- Aprenda uma lição nunca deixe suas coisas jogadas por aí. Achei atrás de uma árvore. Vai me dar os anéis e os livros?
- Não sem lutar.
- Não quero machucá-la.
Thorn correu para o fundo da caverna. Quanto mais escuro tivesse, mas vantagem teria sobre Phauno, que tinha apenas a visão de um humano. Tentava por um plano em mente para conseguir derrotá-lo. Colou cada um dos anéis em uma das mãos nos dedos indicadores. Fechou os olhos para pensar e ouviu uma voz. Parecia a voz de um velho:
- Tome a espada dele e o mate.
A fada- vampira se assustou com a voz. Não queria matar Phauno, apenas imobilizá-lo. Escutou quando ele se aproximou estando há apenas alguns passos de distância. Surpreendeu, pois uma forte luz azul iluminou o local. A luz vinha dela mesma e apenas não conseguia controlar.
- Oras só! Está ai então? O que pretende Thorn? Destruir-me com essa luz?
Ela ficou imóvel, muda, incapaz de respondê-lo. Viu quando Phauno levantou mais uma vez a espada e preparava-se para golpeá-la. A espada, porém escorregou das mãos deles ferindo-há apenas um pouco no braço. Thorn usou de sua agilidade para alcançar a espada. Segurou-a firme enquanto a voz falava novamente com ela:
- Mate-o.
Sabia que seria incapaz de matá-lo. Viu que ele vinha mais uma vez em sua direção. Notou seus olhos que brilhavam intensamente mais do que o costume. Sentiu uma forte repulsa.
- Thorn, Mestre!
Reconheceu a voz de Merlin.
- Aqui!
Phauno a esmurrou, derrubando-a ao chão e recuperando posse da espada. Não foi rápido o bastante para que Merlin não visse a cena.
- O que está acontecendo aqui? Cadê o Juliano?
- Phauno o matou e quer me matar! Fuja daqui, antes que ele tenta matá-lo também.
- Como ousa matar nosso Mestre em nosso território?
Phauno tentou em vão golpeá-lo. Merlin tinha bons reflexos e se desviou. Arrancando a espada da mão do humano insolente que acabará de dar a si mesmo sua sentença de morte. Merlin o segurou com força e gritou:
- Vou levá-lo aos outros do clã. Eles decidiram o que fazer! Thorn precisa de ajuda?
- Daqui a instantes desço!
- Olha quando a vi pela primeira vez eu sabia o que procurava. Vou deixá-la sozinha. Espero que encontre o que deseja e saia! Leve seus amigos daqui, antes que eu mate todos!
Merlin correu desaparecendo. Thorn ficou sozinha na caverna. Sua pele arrepiou. Não tinha já tanta certeza se devia ler ou não o livro, mesmo assim decidiu procurá-lo. Tentaria ser o mais breve possível. Os guardiões de kiara já haviam perdido tempo de mais. Precisavam recuperar o talismã e mais do que nunca preservar os segredos do mundo paralelo em que viviam.

5 comentários:

Adriano Siqueira disse...

Cada vez que vejo uma nova aventura sobre Os guardioes de Kiara escrito pela Mila Vejo que existe muito de nobre nos blogs e na literatura naciona. As linhas sempre apaixonates da escritora deixam marcas que nos fazem vagar pelo universo fantástico. Suas interpretações e a suas aventuras só nos deixam mais orgulhosos de sermos brasileiros. Que bom Mila. Que bom que sua criatividade continua melhor, mais forte e tenho certeza que você moça terá em breve muitos livros e muito sucesso no que faz. Existe mesmo muito paixão no que escreve. Muito disso tudo será visto com bons olhos por muitos leitores e também por muitas editoras que sempre vão querer ver mais sobre está sua obra.
Eu... bom eu agradeço sempre por tudo, tudo mesmo que rolou nesta novela que começou a mais de seis meses e que está sempre descataca como uma das grandes obras a serem lidas pela internet.
De seu admirador de sempre.
Adriano Siqueira.

Lais Adelita disse...

nossa adorei!

achei muito legal o blog , também sou apaixonada pela arte.
Mas aqui no brasil as coisas são complicadas

''Celebridade é artista ,artista aqui não faz arte''

a maioria das pessoas não saão valorizadas com seus trabalhos!

http://cronicasdesafira.blogspot.com/

beijaao!!

Balth disse...

Interessante...um mais tarde tomo vergonha na cara e leio todos os outros episódios 8D estou adicionando ao meu blog e acompanhando! Duvida quando a história dos guardiões terminarem vocês planejam ir realizar outro projeto?

Eddy Khaos disse...

lindo!!!vc escrever com amor cada uma de sua palavras!!!

Laís Dias disse...

Eu só li o primeiro cap porque a história parecia boa, mas agora pretendo lê-la toda!Gostei muito da idéia da história se passar no Brasil!
Eu vou ler assim que der para fazer um comentário decente da história, mas só para avisar, eu deixei dois selos para vc no meu blog!
Beijos!