sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Os Guardiôes de Kiara - parte 18 - por Adriano Siqueira









-THOOOOOORRRRRRRRRRRRRRRRRRRNNNNNNNN!!!!!!!!!




Simona gritava insandescido dentro da pousada onde estava descansando.


O barulho dos móveis se quebrando era ouvido a quilômetros.




Jasmine corria para dentro da pousada quando é agarrada por Umberto que adverte.


- Eu não Entraria ali.


- Mas ele precisa de ajuda! Ainda está fraco. Respondia Jasmine se soltando do Umberto e entrando na pousada. Ela vê Simona com as mãos na cabeça, clamando o nome da Thorn como um mantra.


Umberto e Phauno entram em seguida e avisam Jasmine.


- Ele não está bem ainda Jasmine. Pode nos atacar. Uma vergonha para um ser que agora tem parte do meu sangue! - Comentava Umberto insatisfeito.


- Não! Ele não vai atacar. Ele só quer saber aonde a Thorn está. Dizia Jasmine colocando a sua mão no ombro do Simona.


- É uma boa pergunta... Afinal ela sumiu faz uns 7 dias. argumentava Phauno.


- Ela me disse onde está... mas pediu para não contar ainda. Vocês só precisam saber que é importante que ela faça o que fez. Tenham certeza que é para o bem dela e do grupo.


- Que ótimo! uma lider que abandona a todos. - Comentava Umberto sorrindo.


Jasmine se levanta e fala bem perto do Umberto.


- Tenha certeza Umberto, que ela jamais abandorania ninguem se não fosse preciso. Algumas coisas, não dependem só da decisão dela. Peço que respeite isso. - Falava Jasmine preocupada com a situação. Ela deita o Simona no seu colo.


- Vai ficar ai dando colo para este vampiro? Umberto pergunta.


- Não vejo problema nisso Umberto. - Jasmine passa a mão nos cabelos do Simona e sorri. - Acho que virei mãe.


Umberto olha para Phauno e os dois saem da pousada. Enquanto Jasmine cuida do Simona os dois olham para a floresta e Phauno pergunta.


- Por um acaso Umberto você sabe com quem está os anéis que a Thorn pegou?


- Não me interesso por bens materiais e mesmo que eu soubesse não lhe diria. Sei que o seu interesse é nefasto. - Respondia Umberto friamente.


- Preciso descobrir qual é o poder que aqueles anéis podem ter. salientava Phauno.


- Se os anéis tem o poder de mantê-lo longe de mim eu até me interessaria - Concluia Umberto caminhando para longe do Phauno.



Dentro da pousada Jasmine fala com Simona.



- Sei que é complicado Simona, nessa situação eu nem sei o que te dizer!


- Não precisa me dizer nada Jasmine... apenas quero ficar aqui quieto. Você me deu a segurança que ela está bem e isso é o que importa. obrigado por me ajudar neste momento. Porém, eu queria ao menos estar perto dela.


- Simona... Lembra o que aconteceu com a mulher de Tanaran?


- Tanaram. O povo que existia em Mato Grosso? - Lembro mais ou menos.


- Eles eram um povo feliz, onde os homens viviam caçando pela mata, e ficavam dias sem voltar para a aldeia até que um dia, uma mulher que amava muito um caçador foi atraz dele pois ela não aguentava mais ficar longe do seu amor.


- Ela o achou? Perguntava Simona curioso.


- Não Simona! Ele a achou primeiro... Ela fez muito barulho nas folhas e o homem que ela amava pensou que era uma caça e atirou a lança atravessando o seu peito.


- Que trágico.


- Por isso devemos respeitar o caminho de cada um. As obrigações, o momento certo de estar perto. Isso pode compensar pela eternidade.


- Jasmine você é tão sábia que as vezes acho que é você que é a lider.


Jasmine ri e diz.


- Eu lider? Não conseguiria mandar nenhum amigo meu para uma batalha. Não sirvo para ser lider. Prefiro ser livre e deixar este papel para Thorn.


Simona se levanta mas sente um pouco de tontura. Jasmine o segura e adverte.


- Acho que você precisa de sangue...Vou ver o que posso fazer. Fique aqui deitado.


Jasmine sai para encontrar Umberto.


- De jeito nenhum! - Umberto diz prepotente. Um lobisomen da minha linharem jamais iria caçar um animal para um vampiro. Eu me recuso a fazer tal coisa! Eu...


- Por favor Umberto. Já é dificil ficar sem a Thorn por aqui e o Simona precisa da gente. Somos uma equipe.


- Está bem! Eu vou... e que meus irmãos lobos jamais saibam deste dia.


Phauno se aproxima de Jasmine e pergunta.


- Por um acaso você não viu um par de anéis por ai?


Umberto interrompe.


- Phauno! Você vêm comigo!


- Mas que droga lobo! Eu não sei caçar!


- Eu vou ensinar.


Enquanto os dois caminham em direção a floresta Jasmine abre a sua bolsa e Pega os dois anéis e diz.




- Thorn... Volte logo... Eles precisam de você!





3 comentários: